Arquivo

Archive for abril \29\UTC 2007

Bertrand, Pensamento, Coisitas…

Pode-se dizer, em tese, que a essência da ética provém da pressão da comunidade sobre o indivíduo. O homem pouco tem de gregrário, e nem sempre sente, instintivamente, os desejos comuns a sua grei. Esta, ansiosa para que o invíduo aja no seu interesse, tem inventado vários artifícios com o fim de harmonizar os interesses individuais com os seus próprios. Um destes é o governo, outro é a lei e o costume, e o outro é a moral. A moral torna-se uma força eficiente de duas maneiras: primeiro, através do louvor e da censura dos que o cercam e das autoridades; e segundo, através do autolouvor e da autocensura, os quais são chamados de “consciência”. Por meio destas várias forças – governo, lei, moral – o interesse da comunidade se faz sentir sobre o indivíduo. […]
Chego agora a meu último problema, que se relaciona com os direitos do indivíduo, em contraposição aos da sociedade. A ética, nós o dissemos, é a parte de uma tentativa para tornar o homem mais gregário do que a natureza o fez. As pressões que a moral exerce sobre o indivíduo são, pode-se dizer, devidas ao gregarismo apenas parcial da espécie humana. Mas isto é uma meia verdade. Muitas de suas melhores coisas vêm do fato de não ser ela completamente gregária. O homem tem seu valor intrínseco, e os melhores indivíduos fazem contribuições para o bem geral que não são solicitadas e que, muitas vezes, chegam a sofrer reação por parte do resto da comunidade. É, pois, uma parte essencial da busca do bem geral, o permitir aos indivíduos liberdades que não sejam, evidentemente, maléficas aos outros. É isto que dá origem ao permanente conflito entre a liberdade e a autoridade, e estabelece limites ao princípio de que a autoridade é a fonte da virtude.

(Bertand Russell, A Sociedade Humana na Ética e na Política)

Bom, aproveitando que coloquei um texto do Bertrand, vou escrever um pouco sobre o que penso da educação atual; claro que baseado no ambiente que convivo. Acredito que tem um pouco a ver com os padrões sociais e a liberdade do indivíduo.

O “mercado”, como centro de nossas vidas, levou o mundo a uma procura cada vez maior de realização financeira. E a educação não escapou dessa mentalidade consumista e competidora. O que se observa, são pais e educadores preocupados em formar verdadeiros campeões, competidores de uma maratona de testes que elevam o nome das escolas formadoras de campeões, e a um total esquecimento ou relaxamento de como formar o indivíduo e princípios como ética, humildade e a honestidade.
O que podemos ver são jovens, influenciados por isso, escolherem suas profissões movidos muito mais pela possibilidade de ganhos, do que por afinidade ou realização pessoal.
A mais preocupante das conseqüências disto é emocional, já que, ninguém exerce uma função adequadamente quando não está feliz com sua escolha. E mesmo que a felicidade seja algo considerado ultrapassado, ela ainda é a mestra propulsora da sociedade. Se somos felizes, somos indivíduos melhores; se indivíduos melhores, melhor é o mundo.

Essa semana recebi como indicação para leitura o livro do Gilberto Dimenstein, Cidadão de Papel. Ainda não tive tempo para ler, no entanto, na Folha Cotidiano foi publicado um artigo – O Cidadão de Lixo – também escrito pelo Gilberto. Recomendo a todos a leitura. 🙂

Descoberto exoplaneta parecido com a Terra (notícia muito interessante que recebi essa semana)
Criada a lâmpada perfeita (aproveitando, olha esse aqui; LEDs orgânicos fosforescentes aumentam brilho de telas planas)
Supermáquina com 4 chips tem ótima performance em jogos (uma notícia mais recente; Super-chip vai além da tecnologia “multicore”)

Um pouco sobre o Creative Commons, entrevista com Ronaldo Lemos: Entrevista , Craque da CC

Anúncios

Imbecialidade…

Queria ter colocado essa lista de vídeos na semana passada, porém fui dormir e acabei esquecendo. Quero deixar bem claro que os vídeos são fortes. Portanto, só assista quem realmente quer saber o quão podre nós somos.

Earthlings – Part 1
Earthlings – Part 2
Earthlings – Part 3
Earthlings – Part 4
Earthlings – Part 5
Earthlings – Part 6
Earthlings – Part 7
Earthlings – Part 8
Earthlings – Part 9
Earthlings – Part 10

“…somos todos animais deste planeta. Somos todos criaturas. E animais não-humanos experenciam as mesmas sensações que nós. Eles também são fortes, inteligentes, trabalhadores, ágeis e evoluem. Também são capazes de crescimento e adaptação. Como nós, acima de tudo, eles são terráqueos. E como nós, eles estão sobrevivendo. E como nós, eles também procuram o conforto próprio e não o desconforto. E como nós, eles expressam graus de emoção. E é claro, como nós, eles estão vivos…”.

“Colhemos o que nós plantamos.”

Estamos plantando violência. O que esperamos?

Categorias:Artigos, Notícias

Coisitas do dia…

Totalmente sem tempo para atualizar por aqui.

Alguns links;

Rede Sociais e a Ciência Moderna (aproveita e retoma esse aqui; Fatores de Impacto: Meritocracia ou Rede Social…?!)
Google Box: Google mais perto da web semântica?
França e China criam laboratório de Física de Partículas
Prêmio Viva Leitura
Sonda de gravidade confirma teoria de Einstein

Tenho dezenas de notícias, que vou ver se no final de semana consigo organiza-las e acrescentar aqui no blog. 🙂

Mas a “principal”, e que vou ficar só observando por enquanto é essa:

Ubuntu, o que vem por aí em 2007
Características que irão “vender” o Feisty Fawn
Sobre o BETA do Feisty

E hoje, é a data oficial do lançamento, e já pode ser baixado; dê uma olhada no link abaixo. 🙂

Download e Torrents do Ubuntu 7.04 Feisty Fawn

Ensino e aprendizagem

Como nos ambientes onde freqüento, inclusive aqui na internet, está sendo muito discutido sobre a educação, e a forma de aprendizagem, resolvi escrever um pouquinho à respeito, no final coloco a discussão.

O texto abaixo [em itálico] foi extraído de um livreto de propostas que tenho aqui, e achei que caia como uma luva para a ocasião.

Na cultura africana, de acordo com o historiador Christophe (O Correio da UNESCO, nº7, ano 24), o silêncio está associado ao desejo de aprender, ao autodomínio, à confiança e à responsabilidade. Um jovem deve permanecer de boca fechada e ouvidos abertos, deixando o mais velho falar. Durante longos anos, apenas escuta. Mediante esta escuta, seu espírito se eleva e pouco a pouco se aproxima da verdade encarnada pelo mestre. Só após julgar ter compreendido um pouco, começará a fazer perguntas.
Na nossa cultura, ao contrário, o diálogo é considerado um instrumento de aprendizagem. Na escola, dá-se oportunidade para os jovens falarem. Recomenda-se que eles interrompam o mestre, formulem suas dúvidas e críticas, discordem do estabelecido, façam valer seus pontos de vista. Acredita-se que aprendemos mais falando do que ouvindo. Essas práticas são consideradas positivas porque estimulariam o senso crítico e a capacidade de argumentação.

Aprendemos desde cedo a observar, ouvir e então talvez questionar. Ambas as formas de ensino [mostradas no texto], são “falhas”, e isso faz com que muitas vezes os alunos percam o interesse no que está sendo tratado em sala de aula.

Mostrar ao aluno que o ambiente em que ele se encontra (sala de aula), é o “seu lugar”, e tudo que ele escuta lhe diz respeito, e não um local de onde ele não vê a hora de sair. Estimular a “paixão” e o interesse pelo estudo, é função da escola, do professor e também dos pais. Deixar o aluno perguntar, argumentar e discordar faz com que ele passe a interagir de uma forma mais democrática e menos dolorosa.

Mostrar a diferença entre conveniência e inconveniência, é o principal desafio do professor, e sua ferramenta para uma organização, de forma que as perguntas não intimidem os demais alunos, e não atrapalhe o rendimento. Saber perguntar, eis a questão.

O fato dos alunos estarem quietos, não quer dizer que eles estejam compreendendo tudo, entretanto, questionamentos a todo momento também não quer dizer que estejam interessados; colocar em prática apenas um dos lados dessa moeda, é ser passível de uma possível irresponsabilidade. Portanto, deve-se estimular no aluno, a hora certa de ouvir, pensar, para então questionar.

Somente assim conseguiremos criar um bom ambiente acadêmico, uma vez que, às vezes, perguntas são mais importantes que respostas.

Minha humilde e sincera opinião sobre o que foi tratado no texto.

Abaixo, o prefácio do Lectures on Physics, passado pelo Tom na comunidade[1];

Não obstante, eu não queria deixar nenhum aluno completamente para trás, como talvez tenha deixado. Acho que uma forma de ajudar mais os alunos seria realizar mais esforço em desenvolver um conjunto de problemas que elucidassem algumas das idéias nas palestras. Problemas dão uma boa oportunidade de completar o material das palestras e de tornar mais realistas, completas e arraigadas nas mentes as idéias que foram expostas.

Acho, porém, que a única solução para este problema da educação é perceber que o melhor ensino só pode ser praticado quando há uma relação individual direta entre um estudante e um bom professor–uma situação em que o estudante discute as idéias, pensa sobre as coisas e fala sobre elas. É impossível aprender muito apenas sentado em uma palestra ou mesmo resolvendo problemas propostos. Mas, em nossos tempos modernos, temos tantos alunos aos quais ensinar que precisamos tentar encontrar um substituto para o ideal. Talvez em algum pequeno lugar onde haja professores e alunos individuais, eles possam obter certa inspiração ou idéias destas palestras. Talvez se divirtam raciocinando sobre elas–ou desenvolvendo mais algumas coisas.

[1] Comunidade de Física @ Pensamentos Aleatórios

Abraços.

Notícia, Feeds RSS, Cultura 2.0, etc…!

abril 1, 2007 1 comentário

Essa semana, correria do cão por aqui, com direito a poucas horas de sono, muita cafeína e quase nenhum minuto para descanso. Ou seja, o blog ficou esquecido. Vou fazer o mesmo esquema de sempre; falar um pouco sobre algo interessante, colocar algumas notícias que andei lendo nesses dias, e acho que só.

É, não está sobrando muito tempo para o blog, desculpem.

Essa semana estava tendo uma ótima discussão na Comunidade de Física sobre algumas coisas que estavam me encomodando, até que a discussão tomou um outro rumo, e foi parar em algo que eu achei interessante colocar nesse blog. Até porque, quando eu descobri solucionou e organizou em muito minha vida por aqui, em se tratando de notícias.

Vou simplesmente copiar e colar partes de um artigo – O que é um feed RSS e um agregador? – ae fica a critério de vocês lerem onde achar melhor, lembrando que vou ser apenas uma repercussão do som original.

Feed RSS??

A tecnologia do RSS permite aos usuários da internet se inscrever em sites que fornecem feeds (fontes) RSS. Geralmente, sites que atualizam seu conteúdo regularmente, ou seja, os Feeds RSS recebem estas atualizações de forma que não seja preciso visitar cada site para ficar informado sobre as notícias recentes. Portanto, só inscrever os feeds RSS que deseja no Agregador, para uma melhor organização (maior explicação logo abaixo).

Agregador??

O agregador, ou leitor de notícias, são programas que organizam de acordo com a vontade do usuário, informações [Feeds RSS] em um único local. Existem diversos agregadores para GNU/Linux, Windows e Mac OS, agregadores em páginas da internet, assim como nos próprios navegadores por meio de extensões.

É uma ótima forma de você acessar apenas as notícias/mensagens que lhe interessa. Dentre a lista de agregadores (Google Reader , Rojo , Bloglines , FeedLoung), só posso falar sobre o Google Reader que é o que eu uso e antes usava uma extensão do FireFox. E estou muito satisfeito com este, portanto, não pretendo mudar tão cedo de agregador, mas recomendo experimentar uns dois e ver qual é o do seu gosto.

Preferi o Google Reader, pois na entrada personalizada do Google tinha jeito de colocar um widget para facilitar ainda mais as coisas. 🙂

Alguns links que recomendo fortemente a leitura; arXivs + Digg…?! , Ciência 2.0…?! , Fatores de Impacto: Meritocracia ou Rede Social…?! , SciRate.com , Digg.com e ainda nessa de Cultura 2.0 assistam Supermercado 2.0

Bom, alguns tópicos selecionados da comunidade, portanto será preciso login/senha do Orkut para acessar: ATENÇÃO: Aluno de Ensino Médio entre 16 e 17 anos , Edições do Feynman Lectures , Curso Astrofísica Estelar online e gratuito

Direto do meu Google Reader, teria diversas notícias para colocar para vocês, no entanto, vou colocar só duas, estou cansado e vou tirar uma soneca.

Novo processador é um verdadeiro supercomputador em um único chip
Disco óptico 3D poderá chegar a 1 Terabyte de dados

Qualquer coisa mais tarde eu adiciono outros links…

[]’s