Archive

Posts Tagged ‘responsabilidade social’

Escolas matam a criatividade

março 16, 2010 Deixe um comentário

Faço questão de compartilhar com todos vocês o vídeo fascinante do Ken Robinson na TED.

Incrível.

O que falta no Ensino Medio?

Me deparo na internet com várias discussões sobre o ensino brasileiro. Algumas muito interessantes, outras, nem tanto. Todavia, encontrar relatos de jovens que estão no Ensino Médio, ou que tenham terminado é preciso procurar MUITO.

Como terminei o EM ha pouco tempo, achei interessante colocar uma análise do que vi, assim quem sabe, estimula outros jovens a escreverem sobre suas frustrações e satisfações com o ensino brasileiro.

Eu já disse em alguns posts por aqui que nossas escolas não apresentam a realidade como ela é.

Uma das coisas que eu não entendo é de onde tiraram essa idéia de que estudar é fácil; estudar requer [muito] esforço e somente a longo prazo se obtem um resultado satisfatório. Também nunca entendi de onde [os alunos] tiraram a idéia de que a área de Humanas não precisa ter conhecimento de Exatas (ou vice-versa).

Isto está errado. O nosso Ensino Médio tem como base fornecer *CONHECIMENTOS*GERAIS*, concordo que há MUITOS erros em nosso ensino, entretanto se essa “base” fosse trabalhada de forma séria (com competência) teríamos alunos com uma visão [de mundo] um pouco mais abrangente.

Passei grande parte do meu terceiro ano me perguntando: Por quê os alunos média-alta [da sala] são sacrificados, já que eles poderiam ter um rendimento maior se os professores elevassem o nível da aula (com demonstrações, exercicios difíceis, etc.)?

Até hoje não entendi muito bem isso. Prejudicamos uma minoria que quer, para priorizar uma maioria que não quer nada?

Não quero (e nem pretendo) defender a existência de “turmas exclusivas”, afinal não existem salas disponíveis (com carteiras, lousa, giz, etc.) e nem mesmo professores para [todas] essas turmas.

Entretanto, não é justo — com aqueles (poucos) que querem aprender — que somente para se ter uma sala mais homogênea tenha que diminuir o “nível” das aulas.

Eu sempre me faço a pergunta: Por quê quando se tem duas escolhas para se colocar em prática, se opta pela menos trabalhosa (mais cômoda) e a outra idéia mais DURA (severa, real) é SEMPRE descartada?

As aulas devem ter um nível alto e as provas devem ser difíceis. Os alunos desde cedo precisam saber que haverá pedras no caminho e que nem sempre a escola e nem seus pais irão poder removê-las. O papel fundamental da escola é fornecer aos alunos “ferramentas” para que possam abrir o seu [próprio] caminho.

Durante o Ensino Médio, tive que ouvir alguns questionamentos do tipo: “Onde vou usar isso na minha profissão?”

Por quê as matérias que são abordadas no Ensino Médio precisam ter uma utilidade prática em nosso cotidiano? Os alunos PRECISAM ter conhecimento de TODAS as áreas (Exatas, Humanas e Biológicas). O que é cobrado no Ensino Médio é o mínimo necessário.

Só a título de exemplificação: eu não sou bom em Biologia, mas eu aprendi o BÁSICO e o suficiente para em uma discussão não ficar ‘boiando’, ou ao ler (ou assistir) um jornal, entender o que está sendo transmitido. E algumas vezes vezes relacionar sintomas a determinadas doenças e até me prevenir contra outras. Ou até mesmo para saber quando alguém está tentando me enganar…

Esse conhecimento é INFAME perto da Biologia, entretanto é um conhecimento que eu não teria se não tivesse sentado e estudado um pouquinho.

Fico imaginando se houvesse essa separação logo no Ensino Médio. Teríamos advogados que não saberiam o que são equações quadráticas; Físicos que falariam que bactérias causam gripe; e Biólogos que não saberiam o que foi a Guerra Fria e o quê ela significou.

Eu não me canso em dizer que o que falta em nossas escolas é disciplina e responsabilidade.

Abraços.