Arquivo

Archive for the ‘Química’ Category

Richard Feynman #2: Parte 2

abril 5, 2011 1 comentário
Anúncios

Richard Feynman #1: Parte 1

Perfume: cheiro de criação

maio 19, 2009 2 comentários

Quem conversa diariamente comigo sabe que eu gosto muito de perfumes; sou admirador de empresas desse ramo e acho que eles fazem um trabalho maravilhoso, não só nas fragâncias produzidas, mas também no design dos frascos em que o perfume é vendido.

Eu sempre digo a meus amigos e amigas que não é preciso você usar roupas e sapatos caríssimos para ser notado; basta um perfume ideal e que tenha uma boa fixação na sua pele e bons elogios — pelo menos olhares — surgirão.

Escolher a fragância que melhor se adapta ao seu corpo é difícil, principalmente quando se vai em uma loja de perfumes e o máximo que as vendedoras fazem é lhe oferecer dezenas de papéis com o cheiro de cada um. 😦 A sutiliza de um bom perfume está em apresentar uma divisão de fragâncias, ou seja, basicamente dividir o cheiro em “etapas”:

  • Notas de cabeça: primeira impressão do perfume. Essas moléculas são menores, portanto em pouco tempo elas se evaporam.
  • Notas de coração: é a “composição” do perfume; os aromas mais equilibrados. Permanece na pele por um período de tempo e depois desaparece.
  • Notas de fundo: composição dos aromas mais fortes e evidentes. São essas notas que possuem maior poder de fixação, ficando por um período de tempo ainda maior que a nota anterior.

A “magia” do perfume está em agir no sistema límbico, antes chamado de “cérebro das emoções”, fazendo com que os aromas sejam capazes de relaxar, melhorar a concentração, aliviar cansaço, etc. Por isso, comprar perfumes pelo “nariz do amigo”, ou seja, baseado na opinião alheia é um erro, já que uma fragância pode trazer benefício para essa pessoa, mas para você não.

O valor do perfume para mim está em sua criação, já que o produto é composto de notas, cheiros da natureza, cheiros desse nosso mundo, criatividade de quem procurou usar dos sentidos para transmitir uma mensagem, etc. Enfim, saber criar um perfume é fascinante. Outro detalhe interessante na produção é a sua classificação pela sua concentração:

  • Parfum: a forma mais concentrada, entre 20%-40% de compostos aromáticos (essência).
  • Eau de parfum: varia de 12-18% de compostos aromáticos (essência).
  • Eau de toilette: 8-14% de compostos aromáticos (essência).
  • Eau de cologne: 3-7%, baixa concentração de essências (essência).

Portanto, a próxima vez que você olhar aquele perfume magnífico, tente reparar na quantidade de coisas que há por trás daquele frasco bonito. Historicamente a arte de elaborar perfumes nasceu no Egito e desde então melhoramos os método de produção gerando desenvolvimento científicos, principalmente na química. 😉

Muitos discutem a relevância disso; dizem ser algo fútil, desnecessário. A questão é que eu não penso assim. Vivemos em um mundo que valoriza a imagem (e não pretendo discutir isso agora) e se você não valoriza a sua, quem você acha que irá valorizar? O outro?

É preciso ser realista e saber estar bem aprensentável em qualquer circunstância: um sapato e uma blusa bacana, uma calça legal e um perfume ideal. Veja que não é preciso gastar fortunas para andar bem vestido e estar sofisticado para qualquer situação; o necessário é apenas bom senso.

Links: Perfume, A magia do perfume

Teste: Greasemonkey, Mozilla, TeX, Mathematics…

março 27, 2009 2 comentários

Como podem ver estou fazendo alguns testes por aqui, pois pretendo utilizar equações matemáticas em alguns posts, então será muito útil esses plugins do FireFox que irei comentar.

Não quero dar a impressão de que que estou restringindo o acesso para aqueles que possuem o FireFox, mas infelizmente o Internet Explorer que é o mais usado não possui nenhum plugin para visualização de fórmulas em [;\LaTeX;], então infelizmente de certa forma aqueles que utilizam o IE vão ser prejudicados quando eu escrever algum artigo que utiliza de várias passagens matemáticas.

Mas posso garantir para aqueles que não pretendem instalar outro navegador como o FireFox que irei tentar fazer o artigo o mais claro possível… para mesmo sem as equações ser compreensível; mas já adianto que vai perder 60% da beleza. 😉

O meu conselho é que utilizem o FireFox e não precisa nem procurar muito para achar dezenas de artigos espalhados pela Web que dizem quais os benefícios dele em relação ao Internet Explorer. Nomais, isso não quer dizer que aqueles que não possuem o FireFox precisam deixar de frequentar aqui, até porque eu não tenho como pretensão escrever artigos com equações matemáticas todos os dias, apenas de vez em quando. Não se desesperem…

Para aqueles que já possuem o FireFox instalado, recomendo que instalem o seguinte plugin: TeX the World. Mais simples que clicar no Install não existe. Ele permite a visualização das fórmulas escritas em [;\TeX;]; posso garantir que aqueles que não conhecem o script ficarão surpresos com o resultado.

É isso… estou cansado e com dor-de-cabeça, pois estudei o dia inteiro; se sobrar tempo eu falo um pouco mais sobre [;\TeX;] e [;\LaTeX;] aqui no blog, apesar que o pessoal da Ars Physica já falou bastante sobre isso. Veja: ScribTeX = Wiki + TeX , Matemática na era da Web2.0 , Novas estruturas sociais e o cientista hacker.

Com esses já dá para fazer a festa…

Agora o teste final… para eu ter certeza que está tudo funcionando (agradeço ao João Antonio da comunidade de física por ter me passado as fórmulas em [;\LaTeX;] já que sei pouquíssimo para não dizer nada).

Se [;f(x) = \ell n(x);] então [;f'(x) = \frac{1}{x} ;]

[;f'(x) = \lim_{h\to 0}\, \frac{f(x + h) - f(x)}{h} = \lim_{h\to 0} \,\frac{\ell n(x+h) - \ell n(x)}{h};]
[;f'(x) = \lim_{h\to 0} \,\frac{\ell n(\frac{x+h}{x})}{h} = \lim_{h\to 0} \,\frac{1}{h}\ell n(1 + \frac{h}{x});]
[;f'(x) = \lim_{h\to 0} \,\ell n(1 + \frac{h}{x})^{\frac{1}{h};]

Mudando as variáveis:

[;\frac{1}{v} = \frac{h}{x};] temos que [; v\to \infty ;] quando [;h\to 0 ;], donde:

[;f'(x) = \lim_{v\to \infty} \, \ell n(1 + \frac{1}{v})^{\frac{v}{x}}= \lim_{v\to \infty} \, \frac{1}{x} \ell n(1 + \frac{1}{v})^{v};]
[;f'(x) = \frac{1}{x}\ell n(\lim_{v\to \infty}(1 + \frac{1}{v})^{v}) = \frac{1}{x}\ell n(e);]

Portanto: [;\fbox{f'(x) = \frac{1}{x}};]

Google, links, Globalizacao 3.0

Bom-dia!

Dei uma pausa nos meus estudos agora pouco para ler algumas notícias, já que de tarde não pretendo ficar online. Como irei viajar nesse feriado, quero deixar tudo em ordem. 🙂 Mas… vamos ao que interessa.

Cada dia que passa vejo que o iGoogle está simplificando a vida de muitas pessoas (inclusive a minha), e conseqüentemente fazendo com que o dia seja mais produtivo e deveras mais divertido.

Hoje com o Google Reader tornou-se possível acessar meus jornais favoritos em qualquer lugar, basta ter uma conexão com a internet e pimba tenho acesso aos feeds ali na minha mão. Eu escrevi aqui algumas explicações sobre agregadores e feed RSS há um tempo atrás, se você não está muito familiarizado, vale a pena dar uma lida.

Além do Google Reader, pode ser adicionado dezenas de gadgets com funções que podem tornar o dia mais efetivo. E em qualquer lugar que tenha uma conexão com a internet, o acesso a tudo isso é com apenas um login e uma senha. É possível receber a cotação da BOVESPA, as principais machetes dos jornais The New York Times, CNN, Time, etc. E se você possuir uma conta no del.icio.us, basta adicionar um gadget na sua página principal e pronto, você pode pesquisar nos seus favoritos. 😉

E se já não bastasse tudo isso, também é possível adicionar um gadget no iGoogle (Driving Directions) que facilita a procura no Google Maps mostrando as rotas e direções de sua viagem. Em alguns lugares dos EUA é possível isso, basta esperar e logo teremos esse serviço… 🙂

Alguns links:

Animação explica o iGoogle
Stree View ainda mais interessante
Morre Albert Hofmann, pai do LSD

PS: Se tiver mais link e sobrar tempo eu adiciono aqui.

[]’s

A responsabilidade social dos cientistas

abril 28, 2008 1 comentário

Estou com um artigo em mãos que deve ser colocado nesse blog. Seu título é o mesmo desse post. Infelizmente não tenho muitas informações a respeito de autor, etc. Mas quero deixar claro que o texto não é de minha autoria.

Gostemos ou não, a pesquisa básica na física afeta mais do que apenas o nosso conhecimento do mundo físico. Por exemplo, a fissão e a fusão tiveram um impacto tão grande na nossa cultura que muitos de nós sentimos que a própria sobrevivência da civilização, como a conhecemos, está perigosamente pendente de um fio. Como disse E. B. White: “A bomba deu-nos uns poucos anos de graça sem guerra e agora ameaça-nos com um milênio de esquecimento.”

Desde o desenvolvimento da bomba atômica em 1945, um pequeno, porém muito significativo grupo de cientistas mundiais, sentiram a responsabilidade social de pelo menos alertar o público e os políticos dos riscos extremos envolvidos numa política que possa conduzir a guerra nuclear. Uma das atividades desses cientistas é a publicação de uma revista mensal de ciência e negócios públicos, Bulletin of the Atomic Scientists. Esse senso de responsabilidade por parte dos cientistas ajuda a explicar a inusitada quantidade de atividade política que encontramos dentro de parte da comunidade científica. Deveríamos esperar que a campanha para cessar o ensaio de armas nucleares tivesse sido iniciada pelos sociólogos, ou pelos dirigentes religiosos, e não pelos cientistas.

Algumas pessoas ressentem-se dessa “intromissão” dos cientistas na política. Há a objeção ponderável de que um cientista que goze de alto prestígio público por suas conquistas científicas pode fazer declarações apressadas, supersimplificadas a respeito de assuntos fora de seu campo de competência, confundindo e desorientando assim o público. Por causa de seu prestígio e reputação de pensador meticuloso, um cientista, que fale para o público sobre matéria política relacionada com a ciência, deve fazê-lo com extrema cautela. Da mesma forma como suas opiniões científicas são baseadas no pensamento cuidadoso e no estudo de assuntos relevantes, assim também suas opiniões políticas devem-se basear no pensamento cuidadoso e no estudo. Mas uma vez que essa condição seja satisfeita, o cientista que se aprofunde na relação entre ciência e política está realizando um valioso serviço público.

Esse cientista também sente que está cumprindo um de seus deveres como cientista. Este “segundo dever” do cientista é expresso por John M. Fowler no seu livro Fallout:

A opinião pública, nas grandes questões nucleares, mantém-se grandemente deformada e desinformada. Apresentar ao público o material bruto a partir do qual essa opinião posa forjar-se é tanto privilégio como o dever do cientista. Pois no nosso mundo de complexo saber e borbulhante tecnologia; os cientistas não têm um, mas dois deveres essenciais: primeiro, o tradicional dever de procurar a verdade; segundo, o dever de comunicar, a todos os que o necessitem, o conhecimento obtido nas suas pesquisas.

Alguns cientistas sentem este “segundo dever” mais fortemente do que outros. No entanto, sempre que os julgamentos políticos devam ser baseados no conhecimento técnico e no julgamento científico, haverá cientistas que sentem ser também seu dever ajudar a contribuir favoravelmente para os julgamentos políticos. Certamente seria perigoso para a sociedade um político sem formação científica tomar sozinho tais decisões vitais.

———x———x———x———

Hoje dediquei minha tarde para estudar Geometria Analítica, fiz um esquema de toda a matéria, que acredito eu seja de grande valia para os estudantes de Ensino Médio (já vou avisando, não é decoreba). Infelizmente por conta dos gráficos e das observações que fiz fica difícil colocar aqui na WordPress, todavia vou ver se consigo fazer em PDF e disponibilizar o arquivo.

[]’s

Cositas…

Estou BEM atrasado com as notícias, mas é que não estou com tempo ‘extra’, conseqüentemente o blog fica de escanteio. 😛 As notícias vão ficar na ordem das mais novas para as mais velhas.

Hubble atinge maioridade (Extra: Merging Galaxies
Guia Foca Linux na barra do firefox (isso pode ser muito útil)
Horarios de filmes no Google
Paises ricos incentivam imigracao de alto nivel
Hubble mostra colisao de galaxias
Twitter (No celular? Twitter on cell-phone , Twitter? — lembra que eu falei ontem sobre o Twitter, então…)
Efeito Homer Simpson
A internet esta sob ataque, por Sergio Amadeu
Fundamentos da educacao
Eletron dividido por quatro
Como conservar [melhor] a bateria do seu laptop
Blueproximity (programa muito util para ambientes de trabalho)
Kernel 2.6.25 (concordo que já saiu do forno faz um tempo… :-P)
Convertendo TIFF para PDF (Isto é extremamente util…)
O que da para fazer com controle do nintendo Wii (Veja no Orkut: Phun-2D)
HP2133: concorrente para o Asus EEE
IBM trabalho em novo tipo de memoria
Cientista usa drogas para aumentar desempenho
9000 PCs de escolas na Suica rodam GNU/Linux
Sistema planetario “como o solar”
A pseudociência de um notório Reichsfuhrer-SS

É isso…

[]’s