Início > Artigos > Goias na bagagem; observações, fotografias, experiencia

Goias na bagagem; observações, fotografias, experiencia

Aqueles que me conhecem um pouquinho sabe o quanto eu sou a favor da urbanização ainda que ela tenha seus problemas. Entretanto após as provas difíceis que eu e minha namorada enfrentamos nesse mês de janeiro, resolvemos viajar para uma fazenda e desligar um pouco da correria. Confesso que foi muito bom (melhor do que eu esperava) e gostaria de compatilhar algumas coisas que pensei enquanto estive lá.

Sou uma pessoa, apesar de muitos não acharem, que consegue aproveitar MUITO o local em que estou naquele momento, desde que… esteja tudo nos conformes. Com isso quero dizer: sem ninguém com “cara amarrada” e tristeza.

A paisagem do local onde eu estive é fantástica (vide foto abaixo) e uma foto não é capaz de demonstrar o quão bonito o lugar é (até porque minha câmera é bem simples); ler um livro deitado em uma rede, olhando uma paisagem como essa é simplesmente inacreditável.

Panoramica_1

Como a fazenda é bem extensa ela possui dezenas de nascentes, com isso é possível fazer maravilhosas trilhas até encontrar pequenas quedas d’agua. Garanto que é uma diversão que MUITAS crianças (e até adultos) ainda não experimentaram.

Além da paisagem incrível, nessa mesma região se encontra a Lagoa Santa que é um município de Goiás. O Rio Aporé desagua nessa Lagoa. É um lugar fantástico (video foto abaixo), que atrai dezenas de pessoas pela sua beleza natural; digno de pelo menos duas visitas e muitas fotografias.

Panoramica_2

Mas… como nem tudo são flores; quero discutir alguns [possíveis] “problemas” que encontrei.

Minha primeira observação é quanto as rodovias que são muito mal sinalizadas. Placas de quantos quilômetros restam para a cidade seguinte é fundamental para quem nunca visitou a região e lá isso parece não existir; placas de sinalização “escondidas” em arbustos altíssimos; não esquecendo da ponte que caiu e sequer existem planos para consertá-la, preferem pagar aluguel (caríssimo) de uma balsa para levar os carros. Esses detalhes, prejudicam a região no comércio com o alto preço das mercadorias, já que um caminhão de carga precisa percorrer um trajeto maior pois não pode entrar na balsa (encarecendo o frete); assim como também prejudica no turismo, pois dezenas de pessoas deixam de visitar a região pois ficam com receio de não encontrar o caminho.

Além das rodovias, outros problemas que aqueles que vivem no campo enfrentam é quanto a educação, transporte público e lixo. Mas… não quero entrar nessa discussão, até porque acho que tenho pouco conhecimento para falar sobre, quero fazer perguntas… e se alguém quiser discutí-las sinta-se a vontade.

Como podemos levar um ensino de qualidade para aqueles que vivem no campo sem invadir (e destruir) o espaço de uma beleza natural incrível? Como tornar o transporte público mais eficiente em uma região que é determinada por fortes barrancos, depressões e afastado? Como coletar o lixo sem trazer despesas absurdas para o munícipio (já que ele é bem pequeno)?

Caso eu precise acrescentar alguma coisa, vou editando aqui. Se enquanto isso alguém quiser discutir, será um prazer. 😉

Anúncios
Categorias:Artigos
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: