Início > Artigos > Voltando com a China na bagagem

Voltando com a China na bagagem

Vou aproveitar que as Olimpíadas estão chegando e vou falar um bocadinho da China. Sei que muitos poderão achar que é um assunto que já “cansou”, mas… acho interessante e importante conhecer um pouco mais do que os jornais falam.

Que a China tem uma área extensa e com riquezas naturais, todos sabem ou já ouviram a respeito, entretanto pouco se diz que apenas 13% dessa riqueza é para o setor agrário. A maioria dos jornais, principalmente os televisivos, não dão importância para a explicação na sua essência, até porque sua função é ‘informar’. (*em alguns casos, nem isso são capazes* :-()

A divisão na China é feita em:

I) Lin-Kiang,
II) Tibet,
III) Mongólia,
IV) Manchúria,
V)
Planícies Orientais

I) Possui rios temporários, clima semi-árido e ário e por decorrência, uma população de baixa concentração (pequena), agrária e islâmica. Sua economia na parte de extrativismo é o petróleo e o urânio; na agrária e pecuária camelos, ovinos, caprinos; e na indústria a produção de armamentos (bélicos), nuclear, têxtil e de bebidas. É uma região anecumênica e muito complicada.

II) Nessa região a hidrogafia representa o maior centro dispersor d’agua da Ásia. Apresenta também uma população de baixa concentração e sua economia é de subsistência, desenvolvendo o extrativismo, caça e indústria artesanal. Também é uma região anecumênica e que busca sua independência.

III) Possui uma hidrografia pobre e a população é baixa em número de habitantes. Sua economia é baseada no extrativismo mineral (carvão, manganes, ferro), na agropecuária (trigo, ovino, batatas, beterraba) e na indústria de mineração.

IV) Sua hidrografia é rica, seu clima é influenciado pelo ventos de monções e sua população é a segunda mais populosa. A economia dessa região é baseada na extração mineral (carvão, manganes), na agricultura (trigo, batata, milho), pecuária (suína, bovina), indústria (siderurgia, petroquímica, metalurgia, máquina e componentes).

IV) Região com hidrografia rica e paisagem climatobotânica diversificada. A economia agrária da região possui vários cultivos (chá, algodão, arroz); pecuária (suínos, bufalos, aves). Na indústria, está localizada a ZEEs (Zoneas Econômicas Especiais) que representa o neoliberalismo desde 1977 aberto por Deng Xao Ping. É nessa área que se encontram as novas tecnologias do país.

*Lembrando que a abertura econômica que o país vem realizando coloca a China na terceira posição do ranking de economia mundial.

Espero que esse ‘resumo’ sobre alguns aspectos da China ajude as pessoas nas próximas leituras de jornais e revistas. 😉

Abraços.

Anúncios
Categorias:Artigos
  1. Anna Paula
    agosto 7, 2008 às 2:03 pm

    oi, valeu pela matéria não achava nada sobre a hidrografia da China para um trabalho de aula..

    vcaleu bjs

  2. agosto 16, 2008 às 1:49 am

    Olá, Anna Paula.

    Fico contente que tenha ajudado. 😉

    Abraços.

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: